Doutoramento em Estudos Culturais UA/UM: Um Programa Único

nov 7, 2012

O Programa Doutoral em Estudos Culturais UA/UM é único em Portugal. Criado em 2010, fruto de uma parceria entre o Departamento de Línguas e Culturas da Universidade de Aveiro – DLC/UA e o Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho – ICS/UM, o Programa conta hoje com aproximadamente uma centena de alunos de diversas nacionalidades e oriundos de diferentes áreas do conhecimento, tais como das Artes, da Comunicação, da Gestão Pública, da Filosofia, do Turismo, da Edição, e muitas outras.

A Interdisciplinaridade é uma característica essencial dos Estudos Culturais e neste Doutoramento não poderia ser diferente. Aproximadamente 60 professores garantem uma massa crítica essencial à qualidade da formação dos doutorandos, novos investigadores. As diferentes áreas de formação desses professores permitem uma integração entre as Ciências Humanas e as Ciências Sociais, fundamental para o florescimento deste campo de estudos. Para os coordenadores – Professora Maria Manuel Baptista, da UA e Professor Moisés Martins, da UM – uma das mais-valias é o enriquecimento teórico e metodológico que esta abordagem integrada possibilita.

”Dentro do campo gravitacional em que os Estudos Culturais se encontram, a temática da cultura recebe um olhar contemporâneo e transdisciplinar proveniente do encontro das ciências sociais com as ciências humanas”, destaca a Professora Maria Manuel. “O foco deste Doutoramento é formar investigadores aptos para a reflexão e a resolução de questões voltadas para o desenvolvimento sustentável, a ética empresarial, os estudos fílmicos e de género, os media, o ciberespaço, o pós-colonialismo, a preservação do património material e imaterial, entre outros temas que sugerem sempre a multidisciplinaridade”, completa.

A atualidade da proposta reflete-se no perfil dos doutorandos e nos temas de investigação. Destinado a profissionais da área cultural que desenvolvem atividades como criação, promoção, animação, mediação e divulgação, o Doutoramento também tem estimulado o interesse de responsáveis por bibliotecas, editoras, centros e instituições culturais, embaixadas, entre outros.

Uiara Martins é mestre em Turismo e a sua tese trata das relações de poder entre as mulheres na cozinha colonial luso-brasileira e de como essas relações influenciaram o desenvolvimento de uma gastronomia brasileira de origem lusa. Para ela, os Estudos Culturais permitem a transdisciplinaridade necessária para abordar o tema de modo a superar as limitações impostas por estereótipos e silêncios históricos no estudo das relações interculturais entre os dois países. Uiara pretende concluir o doutoramento no início de 2013 e prepara-se para iniciar uma carreira docente.
Sara Vidal Maia é aluna da turma de 2010/2011. Prepara uma tese sobre representações sociais e poder nas relações de género, financiada por uma bolsa da FCT. ”Os estudos de género são uma das áreas mais abordadas nos Estudos Culturais, principalmente em relação ao discurso dos media”, diz ela. “A estrutura curricular do Doutoramento está muito bem pensada, permite-nos passar pelas diferentes áreas dos Estudos Culturais e por diferentes especialistas, num espectro que atende às necessidades de todos e de cada um dos alunos”, conclui.
A light designer Iara Sousa é recém-chegada ao Doutoramento. O seu tema de investigação é o treino do intérprete para a manipulação da luz em artes performativas. “O meu maior interesse é a pesquisa da luz como linguagem, a escrita de uma teoria e de uma metodologia para este campo. Procuro neste doutoramento a fundamentação necessária para tratar de forma teoricamente aprofundada um objeto que há muitos anos tem sido o tema da minha prática artística”, diz Iara, que é professora da disciplina de Dramaturgia da Luz na Escola de Teatro e Dança da Universidade Federal do Pará, Brasil.