III Congresso Internacional em Estudos Culturais

Ócio, Lazer e Tempo Livre nas Culturas Contemporâneas

O III Congresso Internacional em Estudos Culturais, organizado pelo Programa Doutoral em Estudos Culturais/Universidades de Aveiro e Minho, toma como tema central o Ócio, Lazer e Tempo Livre nas Culturas Contemporâneas. O evento propõe a realização de um conjunto de conferências e apresentações de resultados da investigação de grupos de trabalho que têm desenvolvido investigação sobre a temática central proposta, envolvendo o estudo das realidades sociais e culturais de Portugal, Espanha, Brasil, entre outros, com particular incidência no contexto Ibero-americano.

Trata-se de um meio de promover a interação entre pesquisadores, estudiosos, professores e público em geral interessado em repensar conceitos e respetivas abordagens sobre o Ócio, o Tempo Livre e o Lazer de nossa contemporaneidade.

Os estudos atuais sobre a temática do Ócio, do Tempo Livre e do Lazer têm vindo a impor-se no meio universitário (e extrauniversitário) até por atingirem outros temas transversais como o trabalho, o consumo, a indústria do entretenimento, as artes e a produção de cultura. Nas atuais sociedades, essencialmente voltadas para os valores do trabalho, o Ócio assume, no presente, um lugar de destaque enquanto possibilidade de promoção da coesão social, num momento de profunda crise das instituições que tradicionalmente tinham esse papel.

Por outro lado, a lógica capitalista tem vindo a moldar “estilos de ser” em tempos outrora destinados ao descanso, ao divertimento e ao desenvolvimento humano, tendo mesmo concorrido para a industrialização do Lazer. Neste contexto, o Ócio tem-se transformado, adquirindo novos significados e remetendo para novas compreensões, apesar de continuar a ser um tema tão controverso quanto relevante e complexo. Com efeito, apesar da sua incontornável necessidade, o reconhecimento e a valorização do papel do Ócio no desenvolvimento e na cultura das sociedades contemporâneas permanece difícil, uma vez que os sujeitos não foram preparados para a dignidade e a importância da experiência de autonomia convocada por um tempo de “nada fazer”.

Pelo contrário, este é um tempo que nos chega do lugar do “pecado”, paradoxalmente, remetendo-nos para o âmbito da subjetividade mais plena, do contato mais intenso e profundo consigo próprio e com os talentos de cada um. O Ócio é, por excelência, o lugar da criação, da invenção, do questionamento, da plenitude subjetiva a partir de si mesmo.

Na contemporaneidade, a cultura do excesso e da urgência tem desencadeado nos sujeitos um forte sentimento de angústia, fragilidade, individualismo e consumismo. O culto das sensações e emoções imediatas confere o tom afetivo às vivências quotidianas, como formas de experimentação momentânea focadas num presente consumista. É, com frequência que neste contexto nos referimos a Lazeres e Tempos Livres, sem mesmo sabermos a que se destinam tais tempos da existência humana.

O III Congresso Internacional em Estudos Culturais, organizado na Universidade de Aveiro e promovido pelas Universidades de Aveiro, Minho (Portugal), Deusto (Espanha) e Fortaleza (Brasil), procurará explorar estas perplexidades, interrogando-nos sobre o que é o Ócio hoje, como se integra nas nossas vidas quotidianas, por que é necessário refletir sobre esta dimensão existencial e como se relaciona o Ócio com o Tempo Livre e o Lazer nas culturas contemporâneas.

Diante dos diversos significados e usos sociais do termo Ócio, cabe-nos situá-lo na perspetiva humana e cultural, partindo da ideia de que se trata de uma experiência integral, centrada em atuações queridas (livres, satisfatórias), autotélicas (como fins em si mesmas) e pessoais, embora com implicações individuais e sociais (Cuenca, 2008).

Será possível no âmbito das culturas contemporâneas compreender de uma forma mais natural e enriquecedora o Ócio nas vidas dos sujeitos e das comunidades?

É a partir deste repto que convidamos todos os investigadores a participar neste fórum científico internacional, que se realizará nos dias 28 e 29 de Janeiro de 2013, no Departamento de Línguas e Culturas da Universidade de Aveiro, Portugal.

As línguas oficiais do Congresso serão o Português, Espanhol e o Inglês, mas os congressistas poderão usar a língua que entenderem. Em qualquer dos casos, a Comissão Organizadora solicita aos participantes que enviem uma versão dos seus textos em Inglês para que seja projetada durante a apresentação ao Congresso, possibilitando assim a compreensão mais generalizada das comunicações.